(11) 98253-0920 Atendimento de segunda
a sexta, das 9h às 17h

Blog

Método de preparação para o concurso de juiz federal

O método de preparação para o concurso de juiz federal não é complicado. A dificuldade maior está nas matérias que são muitas e envolvem assuntos que pouco se estuda na faculdade.
 
O método é o seguinte:
1ª fase: quem faz é o CESPE/CEBRASPE (no caso do TRF1 e TRF5). Nos TRFs 2, 3 e 4 é uma banca própria. Deve-se estudar muita jurisprudência e lei seca e estudar por livros voltados para concurso. Aqui a preparação é normal, como se fosse um outro concurso qualquer (padrão CESPE/CEBRASPE), no entanto, estudando as matérias específicas. E, repito: muita jurisprudência e lei seca.

2ª fase (discursiva), sentença e oral: caso aprovada na 1a fase, é indispensável que você entre no grupo de estudos que os aprovados na primeira fase formam para estudar. A partir da 1ª fase quem passa a fazer e a corrigir as provas são os próprios membros da Comissão Examinadora. Normalmente, estas pessoas possuem mestrado, doutorado, livros e artigos escritos. É obrigatório que você leia tudo o que essas pessoas escreveram porque as questões serão extraídas daí. O grupo de aprovados serve para catalogar estes textos e, na medida do possível, resumi-los para facilitar a leitura. Se o examinador for juiz ou Desembargador, deve- se também ler as decisões que ele proferiu no último ano.
 
Por isso, depois da primeira fase, você deverá adotar esses escritos como material de estudo. Se o examinador cita determinado livro em seus votos, você deverá estudar o assunto por esse livro. É um trabalho inicial de pesquisa, investigação e, depois, de leitura.
 
Estude de segunda a sábado. Descanse no domingo. Estude o maior tempo que você puder. Essa história de que a pessoa passou estudando pouco ou é mentira ou é um caso excepcional. As pessoas que eu conheço e que passaram em bons concursos estudaram e se esforçaram muito. No entanto, apesar de ter que estudar muito, você não pode deixar de continuar sua vida e se divertir também porque o caminho da aprovação muitas vezes é longo e você não vai conseguir passar todo esse tempo em uma rotina na qual não haja espaço para lazer.
 
É extremamente importante que você estude duas matérias por dia. NÃO estude uma matéria por vez até acabar o livro. Explicando melhor: tem pessoas que estudam só direito constitucional, todos os dias, até o livro acabar. Então passam para outra matéria e estudam só ela até o livro acabar. Isso é completamente errado porque faz com que você fique praticamente seis, sete meses sem estudar determinadas matérias, fazendo com que perca o contato com elas, além de, no final, já estar entediada de só estudar uma matéria.
 
Estude, portanto, duas matérias por dia. NÃO TENTE LER mais de um livro sobre a mesma matéria. De forma alguma! É importante ler cada um dos livros indicados no mínimo três
vezes. Na primeira, você aprende. Na segunda, você começa a decorar algumas coisas. Na terceira, você decora mais coisas.
 
É falsa essa ideia de que nós precisamos aprender e não decorar. É necessário de início aprender e depois decorar sim. E, infelizmente, decorar muito. Para isso, é preciso repetir a
leitura.
  
Antes de você estar totalmente pronto para o concurso da magistratura federal, é necessário que você construa uma base de estudos sólida, suprindo as deficiências da faculdade. Não se engane: todos nós saímos da faculdade com extremas deficiências porque o ensino lá não é de excelência (qualquer uma delas).  Por isso, é preciso que você faça uma autoanálise e verifique se a sua base já é sólida. Se não for, antes de estudar especificamente para a magistratura federal, é importante reforçar esse alicerce, ou seja, nivelar seus conhecimentos. Só a partir daí que você irá começar a se dedicar para o estudo voltado especificamente para a magistratura federal.

Algumas vezes, é interessante primeiro estudar e passar em um outro concurso menos disputado (“concurso meio”) e depois, com calma, ir se dedicando exclusivamente para o de
Juiz Federal (“concurso fim” da pessoa). Isso faria com que a pressão sobre seus ombros diminuísse consideravelmente e você poderia aliar a prática com os estudos o que ajudaria
também na hora da prova.

Bem, essas informações serviram para mim e ajudaram bastante. São experiências que funcionaram comigo, mas é claro que cada pessoa tem seu método.

Sobre o Autor